domingo, 31 de outubro de 2010

Macro e Micro Evolução

Já mencionei as principais vertentes sobre nossas origens no post Evolucionismo e criacionismo. Em todas as discussões sobre este tema, o papel da Evolução é ponto sensível de discussão. Evolucionistas teístas e ateístas afirmam sem restrições que a evolução existe; seus opositores alegam que ela é produto da imaginação humana: o que existe são apenas pequenas alterações genéticas. Afinal, o que é fato e o que é teoria?


Apenas para esclarecer melhor os dois conceitos:
A Macro evolução diz respeito à mudanças radicais na constituição genética e , conseqüentemente, fisiológica dos seres vivos. Ex.: a transição de ovíparos para mamíferos.
A Micro evolução trata de pequenas adaptações dos organismos ao meio que afetam o material genético. Ex.: mudanças na coloração de pele (teor de melanina) para suportar maior incidência de insolação.

Gostaria de discutir a macro e micro evolução usando uma analogia físico-matemática:

Quando você e eu estávamos no segundo grau, estudamos uma matéria da Física chamada Eletromagnetismo. Dentre os assuntos estudados, tinha lá uma tal Lei de Ohm dada por U = R*I, onde U é a variação da tensão elétrica, R é a resistência elétrica e I é a corrente elétrica.

Ex.:  Num fio elétrico de resistência 1 ohm, se aplicarmos uma tensão de 1 volt, teremos uma corrente de 1 ampère. Se aumentarmos para 100 volts esta tensão, teremos uma corrente de 100 amperes neste mesmo fio. A tal lei de Ohm nos induz a achar que eu posso aumentar indefinidamente a tensão que eu sempre terei uma corrente proporcional. Quem atua na área elétrica sabe que isto não é verdade. A Lei de Ohm é válida somente para uma faixa de valores. Fora desta faixa o comportamento é imprevisível, a menos que eu consiga avaliar experimentalmente o que acontece com a relação entre tensão e corrente na faixa de valores que eu tenciono estudar.
Este problema da extrapolação dos dados é conhecido por qualquer cientista experimental e ninguém que faça ciência experimental séria ousa discordar dele. Isto vale não somente para a Lei de Ohm, mas para quaisquer modelos experimentais.

Voltando ao nosso tema, os organismos vivos têm certa capacidade de adaptação ao meio em que vivem. Um experimento de 20 anos com bactérias Escherichia Coli mostrou que elas foram capazes de adquirir características diferenciadas, adaptando-se ao meio . Com isso, Evolucionistas (teístas ou não) concluíram que a Evolução foi comprovada experimentalmente (observe que postei um link de um crítico ácido dos teístas, pois gosto de ler posts de céticos também). Entretanto, eu e uma porção de cientistas discordamos deste ponto de vista. O que foi comprovado é apenas a Micro evolução, ou seja, pequenas alterações evolutivas são perceptíveis experimentalmente. A Macro evolução é uma super extrapolação que adota procedimentos cientificamente questionáveis. A menos que pudéssemos simular mudanças do tipo: uma bactéria tornar-se um organismo pluricelular complexo, estas extrapolações tem grande probabilidade científica de estar equivocadas! Até o momento, a Macro Evolução é apenas uma conjectura e não um fato.
Mas então, porque os fósseis parecem (para os defensores do evolucionismo) apresentar evidências evolutivas, aumentando de complexidade conforme sua datação?
Deixarei vocês curiosos...pretendo escrever sobre este tema no meu próximo post sobre o assunto.

 Posts relacionados:
Evolucionismo e criacionismo
Adão e Eva existiram?
Questionando a maneira como vemos o mundo

Um comentário:

Cláudia disse...

Eu to curiosa, ahuahuhauhaha!

Postar um comentário

 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Perguntas ou sugestões?

 
BlogBlogs.Com.Br